6 dicas para a manutenção de motocicletas

0 Flares Filament.io 0 Flares ×

Para garantir que sua frota terá bons resultados, é necessário preservar os veículos com manutenção em dia. No caso das motos, esse cuidado é ainda mais necessário. É preciso ter controle sobre as datas de manutenção e estar atento a qualquer tipo de anormalidade que possa surgir. Para que você fique por dentro de como garantir uma boa conservação e segurança às suas motos, reunimos algumas boas dicas neste artigo. Confira!

Corrente em ordem

A corrente que leva a energia do motor para a roda da moto precisa sempre estar bem lubrificada e não pode ficar com muita folga. Um defeito nesta peça pode deixar o motorista na mão e até representar risco, além de, claro, atrasar o serviço a ser feito.

Quem anda em local de muita poeira — como estradas de terra ou areia — precisa constantemente lubrificar a corrente. Se o veículo sempre encara chuva com frequência, também necessita de cuidado especial. Para quem só anda no asfalto, esse processo de lubrificação deve acontecer a cada 500 km.

Quando a corrente apresenta folga excessiva (entre 1,5 cm e 2 cm), é preciso esticá-la. Isso pode ser feito ao se soltar o eixo traseiro e afastar para trás o braço oscilante da suspensão, junto com a roda. Não estique demais para evitar rompimento. O ideal é conferir isso a cada 1.000 km.

Checagem de freios

Os freios, sejam eles a disco ou tambor, precisam ser revisadas periodicamente. Se a moto possui pastilha (sistema com disco), o teste pode ser feito a partir da conferência do tamanho do desgaste dessa peça. A cada 1.000 km é bom checar o sistema. O desgaste da pastilha não pode ultrapassar 1 milímetro. Se isso acontecer, troque imediatamente a peça porque o contato da parte metálica com o disco causa estrago grande e caro.

Quanto ao freio a tambor, o ideal é fazer ajustes de tempos em tempos para garantir que as sapatas não fiquem distantes da campana.

Lubrificante no nível

O motor da moto só funciona se houver óleo suficiente. Por isso é muito importante conferir o nível a cada 1.000 km. Quando for conferir, deixe o veículo parado e sem funcionar entre 1 e 5 minutos e em um piso plano. Ao retirar o medidor, procure o nível máximo e mínimo e tenha certeza de que o óleo se encontra entre essas medições. Para garantir um motor em bom funcionamento e sem desgastes prematuros, somente use óleo recomendado pelo fabricante.

Pneus em bom estado

Manter os pneus da moto calibrados evita muito desgaste. A sugestão é conferir a pressão semanalmente e procurar fazer isso enquanto a borracha está fria. Tente não andar mais do que 10 minutos até um local que ofereça um compressor. A pressão a ser usada é a indicada pelo fabricante e consta no manual do veículo e pode ser encontrada também em um adesivo encontrado no braço oscilante da suspensão traseira.

Analisar o desgaste e substituir o pneu quando este estiver gasto também é imprescindível. Andar com um dos dois — ou ambos — “carecas” aumenta consideravelmente o risco de derrapagens e quedas. A medição oficial do desgaste é feita pelo TWI, sigla que em português significa indicador de desgaste da banda de rodagem, um ressalto que fica entre os sulcos da borracha. Quando os sulcos se igualam ao ressalto, é sinal de que você deve trocar os pneus.

Explosão na medida

A vela é responsável por produzir a faísca na mistura do ar-combustível. Quando ela fica deficiente, a moto passa a gastar mais combustível e emite mais poluentes. O indicado é fazer uma manutenção nas velas cada 3.000 km. Algumas vezes, o eletrodo dela se fecha e é preciso abri-lo, com uma serrinha, por exemplo. A folga deve ser de 0,8 mm. No caso de dúvida, não deixe de procurar um profissional da manutenção da frota.

Iluminação adequada

Antes de sair para a rua, o motociclista deve confirmar o funcionamento de todo o sistema luminoso da moto. Setas, farol alto e baixo e lanterna traseira itens obrigatórios. Se algo não estiver em funcionamento, o melhor é trocar a lâmpada ou verificar se há outro tipo de problema.

Os sinais luminosos são importantes para manter o piloto da moto bem visível para os demais carros e evitar acidentes. Andar com esses itens irregulares também é caracterizado como infração e pode acarretar multa.

O controle de tantos detalhes precisa ser seguido à risca. Se você tem dificuldade para conseguir isso ou quer modernizar o gerenciamento da sua frota, é bom aprender um pouco mais sobre sistemas que facilitam esse trabalho. Uma dica para otimizar a sua frota é buscar por um software para controle e gestão de frotas. Experimente e conte pra nós os resultados, deixando um comentário!

 

0 Flares Google+ 0 Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×