5 passos para transferir os documentos de um veículo usado

0 Flares Filament.io 0 Flares ×

Fazer a correta regularização dos documentos de um veículo que você comprou recentemente é essencial para evitar aborrecimentos no futuro. A obrigação de fazer a transferência do carro e informar ao órgão de trânsito que houve a comercialização do carro usado ou seminovo é de quem adquire o automóvel, segundo a legislação.

De fato, existe um pouco de burocracia, além doo inevitável pagamento de taxas para que o procedimento se consolide, mas é conveniente fazer tudo isso o mais rapidamente possível. Isso porque, caso ocorra algum sinistro, quem vai ser apontado como responsável será o proprietário legal do veículo, ou seja, quem já vendeu o carro para o futuro e novo proprietário, mas não transferiu os documentos.

Entretanto, a transferência do documento não tão difícil como grande parte das pessoas pensa. No post de hoje você terá um passo a passo para aprender a transferir o registro do veículo usado. Confira:

Preencha o Certificado de Registro de Veículo (CRV)

O documento do carro deve ser preenchido em seu verso com o nome do comprador e preço de venda, na parte do Documento Único de Transferência (DUT). Tanto o comprador quanto o vendedor precisam assinar a cédula.

Autentique as duas assinaturas

Depois do preenchimento correto do DUT, é preciso fazer o reconhecimento de ambas as firmas a do vendedor e a do comprador  em cartório. Uma notícia importante é que, depois desse ato, a transferência do veículo tem que ser completada em um órgão de trânsito ou Centro de Registro de Veículos Automotores dentro do prazo de 30 dias a partir da data em que as firmas foram reconhecidas.

Tire uma cópia autenticada do CRV

O passo seguinte à autenticação das firmas é tirar uma cópia do Certificado de Registro de Veículo e levar em cartório junto com o documento original. Lá, o escrivão ou o atendente autenticará a cópia do CRV, para que mais tarde ela seja levada ao Detran para informar e comprovar legalmente a transação comercial.

Verifique (e pague) eventuais débitos anteriores do veículo

É importante saber se o veículo possui gravames ou débitos em nome do proprietário anterior. Na verdade, esta é uma providência que o comprador deve tomar antes mesmo de efetivar o negócio e efetuar o pagamento ao vendedor. Mas se vocês chegaram a um acordo e houver descontos no preço, por exemplo, porque há multas e IPVA em atraso, a transferência do automóvel só será aceita quando todos os débitos estiverem pagos. Pague os valores pendentes no banco que for credenciado, além da taxa de transferência do veículo.

Leve todos os documentos a um posto do Detran

Esse é o momento de ir ao endereço do órgão de trânsito apropriado, munido dos documentos pertinentes e, finalmente, dar entrada na transferência do veículo. Uma vistoria será realizada no carro pelos agentes do Detran, que providenciarão decalques do chassi e da numeração do motor.

Além desse material colhido na vistoria, você deve levar os comprovantes de quitação da taxa de transferência, IPVA e multas; o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV); a cópia autenticada e o original do Certificado de Registro de Veículo (CVR); além de cópias de seu CPF, RG e comprovante de residência.

Em torno de cinco dias ou um pouco mais a documentação estará atualizada e o veículo estará em seu nome.

Viu só? O processo não é tão complicado assim e evita muitos problemas futuros, portanto, se você comprou ou mesmo vendeu um veículo recentemente não deixe de buscar a transferência logo! E se você também tem alguma dica escreva para nós através dos comentários!

0 Flares Google+ 0 Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×