Conheça (e evite) os principais erros cometidos pelos motoristas

0 Flares Filament.io 0 Flares ×

Desrespeito à faixa de pedestres, estacionamento em fila dupla, não uso da cadeirinha especial para transportar crianças, excesso de velocidade nas descidas e ultrapassagem proibida ou insegura. Essas são as infrações mais comuns cometidas por motoristas no trânsito, segundo uma pesquisa recente e inédita da ANTP, Associação Nacional de Transportes Públicos, que levantou dados sobre comportamentos e atitudes de condutores de vários perfis e das mais diversas faixas etárias. Continue acompanhando o nosso artigo e confira os principais erros cometidos pelos motoristas!

Pedestre é a principal vítima

Em sua metodologia, a pesquisa utilizou dois módulos de avaliação: o simulador e o questionário. Em ambos, o respeito à faixa de pedestres, ou simplesmente ao pedestre, teve a menor porcentagem de avaliação positiva. Os resultados da pesquisa são comprovados pelo elevado número de acidentes, atropelamentos e mortes envolvendo pedestres no trânsito dos grandes centros urbanos. Ou seja, diante do mau comportamento dos motoristas ao volante, o pedestre é a principal vítima.

Os principais erros cometidos pelos motoristas

Não conceder preferência ao pedestre

De acordo com o estudo da ANTP, o respeito aos pedestres é a atitude com menor índice de acertos por parte dos 222 motoristas avaliados pelo simulador, com meros 38,4% da frequência de acertos. Já no questionário, a atitude de respeitar a faixa de pedestres foi um pouco melhor, recebendo 59,9% do índice de acertos. Para o Conselho de Trânsito Brasileiro (CTB), não conceder preferência ao pedestre é a infração mais grave entre as relacionadas com a faixa de segurança. A multa para o condutor, nesse caso, chega a R$191,53 e 7 pontos perdidos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

2 a 4 anos de reclusão

Atenção: segundo o artigo 302 do Código de Trânsito Brasileiro, quem atropela e mata no trânsito pode ser acusado de homicídio culposo, sem intenção de matar, e tem chances de pegar de 2 a 4 anos de cadeia, além de ter a CNH ou a permissão para dirigir apreendida e suspensa.

Ultrapassagem em local proibido

Em novembro de 2014, entrou em vigência uma nova legislação de trânsito que deixou as multas até 900% mais caras. Por exemplo, a ultrapassagem em local proibido, uma das infrações mais detectadas na pesquisa da ANTP, pulou de R$191,54  para R$957,70. Se a ultrapassagem for forçada, a multa de R$191,54 é multiplicada por dez, chegando a R$1.915,40. Nos dois casos, há perda de 7 pontos na CNH por infrações consideradas gravíssimas. Caso o condutor seja multado mais de uma vez pela mesma infração, o valor da multa é dobrado e ele corre o risco de permanecer até doze meses proibido de pegar no volante.

Como você pode perceber, atitudes e comportamentos agressivos no trânsito pesam no bolso, causam acidentes e ainda levam à morte vítimas indefesas e vulneráveis como os pedestres. Além disso, para os profissionais que dependem da CNH para trabalhar, a incidência de muitos pontos na carteira em função das infrações gravíssimas (ultrapassando o mínimo de 20 permitido), pode resultar no recolhimento do documento pelo DETRAN.

Vale lembrar, ainda, que o alto custo das multas pode vir a ser descontado no próprio salário do motorista ou até mesmo ser motivo para sua demissão por parte da empresa. Na próxima vez em que pensar em ultrapassar, pense nisso e como gestor de frota, oriente os seus motoristas quanto a esses cuidados!

Trafegar acima da velocidade permitida

Além das ultrapassagens forçadas e em locais proibidos, trafegar em vias com velocidade acima da permitida é outro erro bastante comum e perigoso. De acordo com a pesquisa da ANTP, menos da metade das pessoas submetidas ao simulador de trânsito — 45,2% — respeitam os limites de velocidade.

O índice é ainda pior quando se tratam de descidas. Somente 41,1% dos entrevistados respeitam a velocidade nas ladeiras e pistas mais íngremes, quando se deve redobrar a atenção por conta do perigo.

Esquecer-se das setas indicativas

Apesar dos bons resultados nos testes — 66,7% dos participantes utilizaram as setas para indicar a mudança de direção —, muitos motoristas ainda se esquecem delas. Mudar de faixa, fazer uma conversão ou uma ultrapassagem sem sinalizar os demais condutores ao seu redor, além de imprudente, é extremamente perigoso e esse descuido provoca diversos acidentes todos os anos, pois deixa pouco tempo para o motorista do carro que vem atrás reagir.

Se prender a “manias” que podem gerar problemas

Quando estiver dirigindo com o carro em movimento, evite apoiar o pé no pedal da embreagem, pois aumenta o desgaste do disco, molas e dos rolamentos em até 40%, assim como guiar com a mão escorada no câmbio de marchas força o trambulador e seus terminais, reduzindo a vida útil dessas peças. Além disso, essas atitudes tornam a manutenção mensal do veículo mais cara.

O mal utilizado “ponto morto” é outro causador de milhares de acidentes todos os anos. Muitos condutores acreditam que deixar o carro desengatado, sobretudo, nas descidas gera algum tipo de economia de combustível.

Pelo contrário! Em veículos de injeção eletrônica essa prática aumenta o consumo e sobrecarrega o sistema de freios, que com o carro em ponto morto não conta com o auxílio do freio motor para colaborar com a frenagem do veículo.

Manutenção veicular inadequada

Outro erro que causa muitos problemas está na manutenção incorreta dos veículos — ou na falta dela. Poucos motoristas calibram e revisam pneus, água, óleo e o fluído de freio com frequência.

Freios desregulados, lâmpadas queimadas, limpadores de para-brisa com defeito ou com a borracha gasta, espelho retrovisor quebrado, amortecedores vencidos, folga na direção, suspensão empenada e carro desbalanceado também são fatores que aumentam as chances de acidentes em ruas e estradas.

Dirigir em condições precárias

Antes de pegar a estrada ou fazer uma viagem longa procure sempre descansar e se alimentar bem. Evite ao máximo dirigir com sono, cansaço ou fadiga, pois essas condições fazem com que muitos motoristas durmam ao volante. E quando acordar pode ser tarde demais! Oriente os motoristas da sua frota a fazer o mesmo.

Pegar no volante com perturbações emocionais, como medo, irritação, estresse, ansiedade ou com algum tipo de preocupação tira a concentração e o foco na pista. Nessas condições, o melhor é adiar a viagem para um melhor momento.

E, em hipótese alguma, dirija sob o efeito de álcool ou de remédios controlados, pois essas substâncias também podem diminuir a concentração, a percepção do perigo, de tempo e de espaço, além de limitar os reflexos e o tempo de reação dos condutores.

Uma dica que merece atenção é a de contratar um serviço de gestão de frotas que possa contabilizar multas e erros gerados pelos seus motoristas, para, assim, criar ações de educação e conscientização sobre as leis do trânsito. Essas medidas podem ser voltadas especialmente para os problemas mais graves, ou que acontecem com mais frequência para que os erros diminuam ou sejam extintos. Eduque os seus motoristas e permita que a sua frota esteja em dia com as leis do trânsito!

Você ficou com alguma dúvida ou tem alguma sugestão? Conte para nós através dos comentários!

0 Flares Google+ 0 Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×