Comprou um veículo usado para sua frota? Saiba como transferir os documentos

0 Flares Filament.io 0 Flares ×

Quando o veículo é comprado, é muito importante fazer logo a transferência para o nome do comprador. Quando a documentação permanece registrada no nome do proprietário anterior, as multas decorrentes de eventuais infrações de trânsito seguem para ele, que certamente vai acioná-lo na Justiça para reaver o que foi gasto com a quitação da pena em pecúnia.

Mas leve em conta algo mais, além dessa dor de cabeça, que pode proporcionar gastos maiores do que o simples pagamento das multas que já seriam devidas: se o carro for parado em uma blitz ou averiguação da Polícia Rodoviária, o motorista não vai ser capaz de demonstrar facilmente que o veículo não é de propriedade da pessoa que está assinalada na documentação do veículo.

Se você adquiriu um veículo usado para sua frota, não tenha dor de cabeça à toa. Aprenda a fazer a transferência do veículo para evitar problemas no futuro. Você pensa que é difícil? Não é! Veja no passo a passo a seguir como tudo é bastante simples e rápido.

Preencha o documento do veículo

A primeira coisa a fazer logo depois de ter comprado o veículo é solicitar que o vendedor faça o preenchimento do Documento Único de Transferência (DUT), que se descobre no verso do Certificado de Registro de Veículo (CRV). Logo em seguida, as duas assinaturas (do vendedor e do comprador) devem ser autenticadas.

Preferencialmente, é o vendedor quem deve se dispor a tirar uma cópia do documento nessas condições e levar ao Detran, a fim de informar a venda do carro. Afinal, é ele o maior interessado, a princípio, em não ter problemas futuros com tais ocorrências de multas e demais contratempos.

Verifique se existem débitos anteriores do veículo

Consulte a situação tributária e as anotações do veículo. Se houver débitos, é necessário quitar os valores pendentes (seguro, multas e IPVA, por exemplo). Pode-se efetuar o pagamento nos bancos autorizados e depois pagar a taxa de transferência do veículo, que varia conforme o ano de licenciamento do veículo (se o carro tiver sido licenciado no ano corrente, a taxa vai ser menor). Uma vistoria será feita no automóvel pelos funcionários do órgão de trânsito, inclusive na numeração do chassi e do motor.

Vá até um posto de atendimento do Detran com os documentos necessários

Caso o vendedor do veículo não tome as providências, ou você tenha combinado de fazer isso, para agilizar a transferência, desloque-se até o Detran mais próximo da sede de sua empresa e tenha em mãos os documentos necessários para fazer o procedimento, quais sejam:

  • CNPJ e cópia do contrato social da empresa;
  • Cópia do comprovante de residência ou endereço da empresa;
  • Documentos originais da taxa de transferência e quitação de eventuais débitos anteriores;
  • Documento original do Certificado de Registro do Veículo (CRV) devidamente preenchido e datado, com as firmas reconhecidas por autenticidade em cartório;
  • Decalque legível do chassi;
  • Decalque legível do motor.

Normalmente o comprador consegue receber a documentação em seu nome em um período de mais ou menos cinco dias. A legislação pertinente dispõe que o proprietário deve transferir o veículo obrigatoriamente em até 30 dias após a data em que as firmas foram reconhecidas em cartório. Caso o procedimento não se apronte neste tempo, uma multa no valor de R$127, 69 poderá ser cobrada.

Você comprou recentemente algum veículo usado para sua frota? Já o passou para o nome da empresa? Conte sua experiência através dos comentários!

0 Flares Google+ 0 Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×